Comprometimento com a educação está aumentando

“A SOCIEDADE ESTÁ COMEÇANDO A PERCEBER O COMPROMISSO QUE TEM COM ELA MESMA. E ENSINAR É UMA VIA DE MÃO DUPLA: TANTO SE ENSINA QUANTO SE APRENDE”. Graziela Fátima Giacomazzo, mestre em educação.

grazifotookjpg


 

Num futuro não muito distante, o voluntariado vai fazer parte das nossas vidas como a profissão faz hoje. Essa previsão é da professora/pesquisadora Graziela Fátima Giacomazzo,  do Curso de Ciência da Computação da Unesc. A professora integra a Unidade Acadêmica Humanidades, Ciências e Educação (UnaHCE), da Universidade do Extremo Sul Catarinense (Unesc), mestre e doutoranda em Educação.

 

“A sociedade está começando a perceber o compromisso que tem com ela mesma. Em alguns países, o voluntariado é muito difundido. As pessoas o veem como uma extensão da nossa profissão. E ensinar é uma via de mão dupla: tanto se ensina quanto se aprende”, analisa Graziela.

Para ela, uma sociedade proativa deve buscar a solução para os próprios problemas sem depender do Estado para tudo-mesmo em áreas pelas quais ele tem o dever de zelar. “Todo mundo tem algo que faça bem e que pode passar adiante. No futuro, o voluntariado vai fazer parte das nossas vidas como a profissão faz agora”, prevê.

 

Uma geração ajuda a outra.

 

Graziela assegura que as atividades como as aulas de teatro desenvolvidas na Escola Adolfo Back, de fato, contribuem para o aprendizado. Quem escreve melhor é quem lê mais, quem conhece mais histórias. O acesso à cultura nessas fases da infância e da adolescência é fundamental”, explica. Além disso, o próprio voluntário tem a ganhar. “Qual empresa não gostaria de ter um funcionário que faz esses trabalhos? Além de fazer os profissionais se sentirem bem, o voluntariado é muito valorizado no currículo e dá mais sentido à profissão”, conclui a mestre em Educação.

 

GIACOMAZZO, Graziela Fátima. Tendência Positiva: Comprometimento com a educação está aumentando. A Tribuna, Criciúma, 15 abr. 2013. p. 09.